7. Concluso

Contedo:

O significado geral

Inteligncia acima da superstio

Ao ao invs de orao

No adeso a raa ou classe

Depender de si mesmo

Um aviso para o futuro

 


 

O valor prtico dos ensinamentos de kamma pode ser resumido da seguinte forma:

Estabelece o entendimento de que as aes e os seus resultados esto sujeitos causa e efeito, ao invs de encantos ditosos e objetos auspiciosos.

Demonstra que o xito de qualquer aspirao depende das aes, encorajando a confiana em si mesmo e a diligncia.

Desenvolve um senso de responsabilidade em relao a si mesmo ao abandonar aes ruins e em relao aos outros ao agir com bondade.

Promove o entendimento de que todas as pessoas possuem o mesmo direito natural, de se deixarem degenerar ou de melhorarem e se desenvolverem.

Mostra que as qualidades mentais, habilidades e comportamento so os elementos para se avaliar a ignobilidade ou nobreza das pessoas e que a discriminao com base na casta ou raa so desnecessrias e prejudiciais.

Mostra como aprender com o kamma passado (aes passadas), considerando as aes com base na razo, ao invs de simplesmente culpar os outros ou situaes externas; atravs da anlise das prprias aes, averiguando como corrig-las e como melhorar a si prprio, determinando quais so as aes mais benficas em uma dada situao.

Coloca o futuro, sob a forma de responsabilidade pessoal, nas mos de cada indivduo.

Esses valores podem ser considerados luz das palavras do Buda apresentadas a seguir:

 

O significado geral

"Inteno, eu lhes digo, kamma. Pela inteno, a pessoa faz kamma atravs do corpo, linguagem e mente."[AN.III.415] (AN.VI.63)

* * *

"Estudante, os seres so os donos das suas aes, herdeiros das suas aes, nascem das suas aes, esto atados s suas aes, possuem as suas aes como refgio. So as aes que distinguem os seres entre inferiores e superiores."[MN.III.203] (MN 135)

* * *

"'Qualquer tipo de semente semeada, esse o tipo de fruto que ser colhido: quem faz o bem colhe o bem; quem faz o mal colhe o mal. [SN.I.227] (SN XI.10)

* * *

Tolos desprovidos de sabedoria se comportam como seus prprios inimigos ocupando-se com aes prejudiciais que apenas produzem frutos amargos. [SN.I.57] (SN II.22)

* * *

Uma ao no bem feita quando, tendo sido realizada, produz arrependimento, cujo resultado experimentado numa face molhada de lgrimas. [SN.I.57] (SN II.22)

* * *

Mas uma ao bem feita quando, tendo sido realizada, no produz arrependimento, cujo resultado experimentado com alegria numa mente feliz. [SN.I.57] (SN II.22)

 

Inteligncia acima da superstio

Se fosse possvel purificar o kamma ruim apenas com um banho num rio, ento os sapos, peixes, lontras, crocodilos e outros animais que vivem nos rios com certeza teriam como destino o renascimento no paraso...Se esses rios tivessem a capacidade de eliminar o seu kamma ruim, ento eles provavelmente tambm eliminariam o seu kamma bom. [Thag. 240-244]

* * *

O que benfico passa desapercebido enquanto o tolo conta as estrelas. O benfico o precursor do benfico, qual a utilidade das estrelas? [J.I.257]

* * *

"Bhikkhus, aqueles seres que praticam a boa conduta com o corpo, linguagem, e mente pela manh tm uma boa manh. Aqueles seres que praticam a boa conduta com o corpo, linguagem, e mente pela tarde tm uma boa tarde. E, aqueles seres que praticam a boa conduta com o corpo, linguagem, e mente noite tm uma boa noite."

"Deveras propcio e auspicioso,
um feliz comeo do dia e um despertar alegre,
um momento precioso e uma hora prazerosa
sero desfrutados por aquele que oferece comida." [AN.I.294] (AN III.155)

 

Ao ao invs de orao

Que ningum reviva o passado
Ou no futuro coloque as suas esperanas;
Pois o passado foi deixado para trs
E o futuro ainda no foi alcanado.
Ao invs disso, que ele veja com insight
Cada estado surgido no presente;
Que ele compreenda isso e tenha certeza disso,
Invencvel, inabalvel.
Hoje o esforo tem que ser feito;
Amanh a Morte poder vir, quem sabe?
No h barganha com a Mortalidade
Que a mantenha, com a sua horda, fora disso,
Mas aquele que permanece assim ardente,
Decidido, durante o dia, durante a noite -
ele, disse o Sbio em Paz;
Que teve uma nica noite excelente [MN.III.187] (MN 131)

* * *

Essas cinco coisas, chefe de famlia, so bem vindas, agradveis, prazerosas e difceis de obter no mundo. Quais cinco? Vida longa bem vinda, agradvel, prazerosa e difcil de ser obtida no mundo. Beleza ... Felicidade ... Status ... Renascimento no paraso bem vindo, agradvel, prazeroso e difcil de ser obtido no mundo. Agora, eu lhe digo, essas cinco coisas no so obtidas atravs de preces ou desejos, se fossem obtidas atravs de preces ou desejos quem aqui no as teria? No adequado que o nobre discpulo que deseja vida longa ... beleza ... felicidade ... status ... renascimento no paraso reze para isso ou se delicie agindo assim. Ao invs disso, o nobre discpulo que deseja vida longa deveria seguir o caminho da prtica que conduz vida longa. Agindo assim, ele obter vida longa, humana ou divina. [AN.III.47] (AN V.43)

* * *

Mesmo que um bhikkhu tenha este desejo, Que a minha mente se liberte das impurezas atravs da ausncia de apego! mas se ele permanecer sem se dedicar prtica, ainda assim sua mente no ficar liberta das impurezas atravs da ausncia de apego. Por que ocorre isso? Por falta de prtica, deve ser dito. Por falta de praticar o que? Os quatro fundamentos da ateno plena, os quatro esforos corretos, as quatro bases de poder, as cinco faculdades, os cinco poderes, os sete fatores da iluminao, o nobre caminho ctuplo.

Suponham que uma galinha tenha oito, dez ou doze ovos. Se ela no cobr-los corretamente, aquec-los corretamente ou incub-los corretamente, ento mesmo que ela tenha o desejo, Que as minhas crias rompam as cascas dos ovos com suas garras afiadas ou bicos e saiam dos ovos com segurana! ainda assim no ser possvel que os pintos rompam as cascas dos ovos com suas garras afiadas ou bicos e saiam dos ovos com segurana. Por que ocorre isto? Porque a galinha no os cobriu corretamente, no os aqueceu corretamente ou incubou-os corretamente.[SN.III.153] (SN.XXII.101)

 

No adeso a raa ou classe

Eu no digo que algum seja um brmane devido sua origem e linhagem. Se os impedimentos ainda nele se ocultam, ele apenas um dos que diz Senhor. Mas aquele que est desimpedido e no tem mais apego: ele aquele que eu chamo de brmane. [MN98]

Pois o nome e o cl so atribudos como meras designaes mundanas; com origem nas convenes, estes so atribudos aqui e ali.

"Para aqueles que desconhecem este fato, idias incorretas h muito tempo sustentam os seus coraes; sem saber, eles nos declaram: Uma pessoa brmane pelo nascimento.

"Uma pessoa no brmane pelo nascimento, nem pelo nascimento ela no brmane. Atravs da ao ela brmane. Atravs da ao ela no brmane.

"Pois os homens so agricultores atravs das suas aes, e atravs das suas aes eles tambm so trabalhadores; e os homens so comerciantes atravs das suas aes, e atravs das suas aes eles tambm so criados.

"E os homens so ladres atravs das suas aes, e atravs das suas aes eles tambm so soldados; e os homens so brmanes atravs das suas aes, e atravs das suas aes eles tambm so governantes.

Portanto, assim como aqueles verdadeiramente sbios vm as aes como elas na verdade so, enxergando a origem dependente, com habilidade nas aes e nos seus resultados.

"As aes que fazem o mundo girar, as aes fazem esta gerao girar. Os seres vivos esto atados pelas aes, da mesma forma que a roda da carruagem pelo eixo. [MN98]

* * *

No devido ao nascimento que algum um pria; no devido ao nascimento que algum um brmane. Atravs das aes algum se torna um pria, atravs das aes algum se torna um brmane. [Snp 142] (Snp I.7)

* * *

Quando os membros das quatro castas nobres guerreiros, brmanes, comerciantes e trabalhadores - adotam a vida santa com a Doutrina e Disciplina declarada pelo Tathagata, eles abrem mo de seus nomes e cls anteriores e so classificados simplesmente como 'os contemplativos, filhos do Sakya.' (Ud V.5)

* * *

E, Vasettha, qualquer um, dentre as quatro castas, que como bhikkhu se torne um arahant com as impurezas destrudas, que viveu a vida santa, fez o que devia ser feito, deps o fardo, alcanou o verdadeiro objetivo, destruiu os grilhes da existncia e est completamente liberto atravs do conhecimento supremo, ser proclamado como superior entre todos os demais de acordo com o Dhamma, no de outra forma. [DN.III.97] (DN 27.31)

 

Depender de si mesmo

Os Tathagatas apenas ensinam o caminho, vocs devem fazer o esforo. [Dhp 276]

* * *

Cada um o seu prprio refgio, quem mais poderia ser um refgio? Treinando bem a si mesmo um refgio difcil de ser obtido conquistado. [Dhp 160]

* * *

A prpria pessoa faz o mal, ela mesma se contamina, ela mesma deixa o mal, ela mesma se purifica. Pureza, contaminao, dependem dela mesma, ningum pode purificar outrem. [Dhp 165]

* * *

"Portanto, Ananda, sejam ilhas para vocs mesmos, refgios para vocs mesmos, buscando nenhum refgio externo; com o Dhamma como a sua ilha, o Dhamma como o seu refgio, buscando nenhum outro refgio. [SN.III.42] (SN XLVII.13)

 

Um aviso para o futuro

H esses fatos que devem ser contemplados por todos com freqncia, quer seja mulher ou homem, leigo ou ordenado. Quais? Eu sou o dono das minhas aes (kamma), herdeiro das minhas aes, nascido das minhas aes, relacionado atravs das minhas aes e tenho as minhas aes como rbitro. O que quer que eu faa, para o bem ou para o mal, disso me tornarei o herdeiro. [AN.III.71] (AN V.57)

* * *

Se voc teme a dor, se a dor lhe desagrada, no cometa uma ao ruim em pblico ou em segredo. Se voc cometeu alguma ao ruim ou est cometendo alguma, voc no escapar da dor, mesmo que tente fugir. [Ud 51] (Ud V.4)

* * *

"Gros, riqueza, ouro, e prata, ou quaisquer outras posses; escravos, trabalhadores, mensageiros, todos aqueles que vivem como dependentes: sem levar nada consigo ele tem que partir, tudo tem que ser deixado para trs.

"Mas aquilo que foi feito atravs do corpo, linguagem ou mente: isso deveras lhe pertence, isso ele leva ao partir; isso aquilo que o segue tal como uma sombra que nunca parte.

"Portanto faa o bem como uma coleo para a vida futura. Mritos aquilo que sustenta os seres vivos ao surgirem no outro mundo." [SN.I.93] (SN III.20)

 

Incio

 

 

Revisado: 21 Fevereiro 2015

Copyright © 2000 - 2021, Acesso ao Insight - Michael Beisert: editor, Flavio Maia: designer.