Majjhima Nikaya 89

Dhammacetiya Sutta

Monumentos ao Dhamma

Somente para distribuio gratuita.
Este trabalho pode ser impresso para distribuio gratuita.
Este trabalho pode ser re-formatado e distribudo para uso em computadores e redes de computadores
contanto que nenhum custo seja cobrado pela distribuio ou uso.
De outra forma todos os direitos esto reservados.

 


Este sutta tambm est disponvel em udio, clique para Ouvir


1. Assim ouvi. Em certa ocasio o Abenoado estava entre os Sakyas numa cidade denominada Medalumpa.

2. Agora, naquela ocasio o Rei Pasenadi de Kosala havia chegado em Nagaraka para tratar de negcios. Ento ele se dirigiu a Digha Karayana:[1] Estimado Karayana, prepare as carruagens reais. Vamos at o jardim das delcias e l buscaremos um lugar agradvel.

Sim, senhor, Digha Karayana respondeu. Quando as carruagens reais estavam preparadas ele informou o rei: Senhor, as carruagens reais esto preparadas. Agora o momento, faa como julgar adequado.

3. Ento o Rei Pasenadi montou na carruagem real e acompanhado por outras carruagens ele saiu de Nagaraka com toda a pompa da realeza e foi na direo do parque. Ele foi at onde a estrada permitia o acesso das carruagens e depois desmontou da sua carruagem e entrou no parque a p.

4. Enquanto caminhava e perambulava pelo parque fazendo exerccio, o Rei Pasenadi viu rvores belas e inspiradoras, numa atmosfera de isolamento, serena e sem a perturbao de vozes, afastada das pessoas, favorvel ao retiro. A viso disso fez com que ele se recordasse do Abenoado assim: Essas rvores so belas e inspiradoras, numa atmosfera de isolamento, serena e sem a perturbao de vozes, afastada das pessoas, favorvel ao retiro, como os lugares nos quais costumvamos homenagear o Abenoado, um arahant, perfeitamente iluminado. Ento ele disse para Digha Karayana o que ele havia pensado e perguntou: Onde ele est agora, o Abenoado, um arahant, perfeitamente iluminado?

5. Senhor, h uma cidade dos Sakyas denominada Medalumpa. O Abenoado, um arahant, perfeitamente iluminado, est l, agora.

Qual a distncia de Nagaraka at Medalumpa?

No muito longe, senhor, so trs lguas. [2] Ainda h luz do dia suficiente para ir at l.

Ento, estimado Karayana, prepare as carruagens reais. Vamos partir para ver o Abenoado, um arahant, perfeitamente iluminado.

Sim senhor, ele respondeu. Quando as carruagens reais estavam preparadas ele informou o rei: Senhor, as carruagens reais esto preparadas. Agora o momento, faa como julgar adequado.

6. Ento o Rei Pasenadi montou na carruagem real e acompanhado por outras carruagens ele saiu de Nagaraka na direo da cidade Sakya denominada Medalumpa. Ele l chegou quando ainda era dia e foi em direo ao parque. Ele foi at onde a estrada permitia o acesso das carruagens e depois desmontou da sua carruagem e entrou no parque a p.

7. Agora, naquela ocasio muitos bhikkhus estavam caminhando para c e para l ao ar livre. Ento, o Rei Pasenadi foi at eles e perguntou: Venerveis senhores, onde ele est agora, o Abenoado, um arahant, perfeitamente iluminado? Ns queremos ver o Abenoado, um arahant, perfeitamente iluminado.

8. Aquela a sua habitao, grande rei, com a porta fechada. V at l em silncio, sem pressa, entre na varanda, limpe a garganta e bata na porta. O Abenoado abrir a porta. O Rei Pasenadi naquele momento entregou a sua espada e turbante para Digha Karayana. Ento Digha Karayana pensou: Ento o rei ir ter agora uma sesso secreta! E eu terei que esperar aqui sozinho![3] Sem se apressar, o Rei Pasenadi foi em silncio at a habitao com a porta fechada, entrou na varanda, limpou a garganta e bateu na porta. O Abenoado abriu a porta.

9. Ento, o Rei Pasenadi entrou na habitao prostrando-se com a cabea aos ps do Abenoado, cobrindo os ps do Abenoado com beijos e acariciando-os com as mos, pronunciando o seu nome: Eu sou o Rei Pasenadi de Kosala, venervel senhor; Eu sou o Rei Pasenadi de Kosala, venervel senhor.

Mas, grande rei, que razo voc v para fazer uma homenagem to extrema para este corpo e demonstrar tamanha amizade?

10. Venervel senhor, eu deduzo de acordo com o Dhamma a respeito do Abenoado: O Abenoado perfeitamente iluminado, o Dhamma bem proclamado pelo Abenoado, a Sangha dos discpulos do Abenoado pratica o bom caminho. Agora, venervel senhor, eu vejo alguns contemplativos e brmanes que vivem uma vida santa limitada por dez anos, vinte anos, trinta anos, ou quarenta anos, e depois, numa outra ocasio eu os vejo bem asseados e bem untados, com os cabelos e barba aparados, desfrutando dos cinco elementos dos prazeres sensuais. Mas aqui eu vejo os bhikkhus vivendo a vida santa perfeita e pura enquanto dura a vida e a respirao. De fato, eu no vejo nenhuma outra vida santa em nenhum outro lugar que seja to perfeita e pura como esta. por isso, venervel senhor, que deduzo de acordo com o Dhamma a respeito do Abenoado: O Abenoado perfeitamente iluminado, o Dhamma bem proclamado pelo Abenoado, a Sangha dos discpulos do Abenoado pratica o bom caminho.

11. Outra vez, venervel senhor, reis brigam com reis, nobres brigam com nobres, brmanes brigam com brmanes, chefes de famlia brigam com chefes de famlia; mes brigam com filhos, filhos brigam com mes, pais brigam com filhos, filhos brigam com pais; irmo briga com irmo, irmo briga com irm, irm briga com irmo, amigo briga com amigo. [4] Mas aqui vejo bhikkhus que vivem em concrdia, com apreo mtuo, sem disputas, mesclando como leite e gua, vendo um ao outro com bondade. Eu no vejo nenhuma outra assemblia em nenhum lugar com tal concrdia. por isso tambm, venervel senhor, que deduzo de acordo com o Dhamma a respeito do Abenoado: O Abenoado perfeitamente iluminado, o Dhamma bem proclamado pelo Abenoado, a Sangha dos discpulos do Abenoado pratica o bom caminho.

12. Outra vez, venervel senhor, eu caminhei e perambulei de parque em parque e de jardim em jardim. L eu vi alguns contemplativos e brmanes magros, miserveis, feios, ictricos, com as veias saltadas nos membros, de tal modo que as pessoas no queriam nem mais olhar para eles. Eu pensei: Com certeza esses venerveis vivem a vida santa com descontentamento, ou eles praticaram alguma ao cruel e esto ocultando isso, to magros, miserveis eles so ... de tal modo que as pessoas no queiram nem mais olhar para eles. Eu fui at eles e perguntei: Porque os venerveis so to magros, miserveis ... de tal modo que as pessoas no querem nem mais olhar para vocs? A resposta foi: doena de famlia, grande rei. Mas aqui vejo bhikkhus sorridentes e felizes, sinceramente contentes, claramente se deliciando, com as faculdades revigoradas, vivendo em paz, serenos, subsistindo daquilo que os outros do, permanecendo com a mente [contida] como um gamo selvagem. Eu pensei: Com certeza estes venerveis percebem estados sucessivos de elevada distino na Revelao do Abenoado, visto que eles assim permanecem sorridentes e felizes ... com a mente [contida] como um gamo selvagem. por isso tambm, venervel senhor, que deduzo de acordo com o Dhamma a respeito do Abenoado: O Abenoado perfeitamente iluminado, o Dhamma bem proclamado pelo Abenoado, a Sangha dos discpulos do Abenoado pratica o bom caminho. 

13. Outra vez, venervel senhor, sendo um rei nobre ungido, eu sou capaz de executar aqueles que devem ser executados, multar aqueles que devem ser multados e de banir aqueles que devem ser banidos. No entanto quando estou reunido com o conselho, eles me interrompem e interferem. Embora eu diga: Senhores, no me interrompam, no interfiram quando estiver reunido com o conselho; esperem at o fim do meu discurso, ainda assim eles me interrompem e interferem. Mas aqui eu vejo que enquanto o Abenoado est ensinando o Dhamma [5] para uma assemblia de muitas centenas de discpulos, no se ouve nem mesmo o som de um discpulo do Abenoado tossindo ou pigarreado. Certa vez o contemplativo Gotama ensinava o Dhamma para uma assemblia de centenas de discpulos, ento, um certo discpulo pigarreou. Por causa disso um dos seus companheiros na vida santa o cutucou com o joelho [para indicar]: Fique quieto, venervel senhor, no faa rudo; o Abenoado, o Mestre, nos est ensinando o Dhamma. Eu pensei: maravilhoso, admirvel como uma assemblia pode ser to bem disciplinada sem o uso da fora ou armas! De fato, eu no vejo nenhuma outra assemblia em nenhum outro lugar to bem disciplinada. por isso tambm, venervel senhor, que deduzo de acordo com o Dhamma a respeito do Abenoado: O Abenoado perfeitamente iluminado, o Dhamma bem proclamado pelo Abenoado, a Sangha dos discpulos do Abenoado pratica o bom caminho.

14. Outra vez, venervel senhor, eu vi alguns nobres instrudos, expertos, conhecedores das doutrinas dos outros, astutos como franco-atiradores precisos; [6] eles andam por a, por assim dizer, demolindo as idias dos outros com a sua inteligncia arguta. Ao ouvirem: O contemplativo Gotama ir visitar tal e tal vilarejo ou cidade, eles elaboram uma questo assim: Iremos at o contemplativo Gotama e faremos esta pergunta. Se ele for perguntado assim, ele ir responder assim e portanto, iremos refutar a sua doutrina dessa forma; ou se ele for perguntado assado, ele ir responder assado e portanto, iremos refutar a sua doutrina dessa forma.

Eles ouvem: O contemplativo Gotama veio visitar tal e tal cidade ou vilarejo. Eles vo at o contemplativo Gotama e o contemplativo Gotama instrui, motiva, estimula e encoraja a todos com um discurso do Dhamma. Depois que eles foram instrudos, motivados, estimulados e encorajados pelo contemplativo Gotama com um discurso do Dhamma, eles nem ao menos fazem a pergunta, pois como poderiam refutar a sua doutrina? Na verdade, eles se tornam seus discpulos. por isso tambm, venervel senhor, que deduzo de acordo com o Dhamma a respeito do Abenoado: O Abenoado perfeitamente iluminado, o Dhamma bem proclamado pelo Abenoado, a Sangha dos discpulos do Abenoado pratica o bom caminho.

15. Outra vez, venervel senhor, eu vi alguns brmanes instrudos, expertos...

16. Outra vez, venervel senhor, eu vi alguns chefes de famlia instrudos, expertos...

17. Outra vez, venervel senhor, eu vi alguns contemplativos instrudos, expertos ... eles nem ao menos fazem a pergunta, pois como poderiam refutar a sua doutrina? Na verdade, eles pedem ao contemplativo Gotama permisso para seguir a vida santa e ele lhes d a permisso. No muito tempo depois de ter adotado a vida santa, permanecendo s, isolados, diligentes, ardentes e decididos e realizando por si mesmos atravs do conhecimento direto, eles alcanam e permanecem no objetivo supremo da vida santa pelo qual membros de um cl deixam a vida em famlia pela vida santa. Eles dizem o seguinte: Ns estvamos quase perdidos, ns tnhamos quase morrido, pois antes reivindicvamos ser contemplativos apesar de na verdade no o sermos; reivindicvamos ser brmanes apesar de na verdade no o sermos; reivindicvamos ser arahants apesar de na verdade no o sermos. Mas, agora somos contemplativos, agora somos brmanes, agora somos arahants. por isso tambm, venervel senhor, que deduzo de acordo com o Dhamma a respeito do Abenoado: O Abenoado perfeitamente iluminado, o Dhamma bem proclamado pelo Abenoado, a Sangha dos discpulos do Abenoado pratica o bom caminho.

18. Outra vez, venervel senhor, Isidatta e Purana,[7] meus dois inspetores, comem da minha comida e usam as minhas carruagens; eu lhes proporciono um modo de vida e lhes trago fama. No entanto, apesar disso, eles demonstram menos respeito para comigo do que para com o Abenoado. Certa vez, quando parti liderando um exrcito e estava testando esses inspetores aconteceu de eu ter sido colocado num dormitrio com muito pouco espao. Ento esses dois inspetores depois de passarem boa parte da noite conversando sobre o Dhamma, deitaram-se com a cabea voltada para a direo que eles ouviram dizer que o Abenoado estaria, e com os seus ps voltados para mim. Eu pensei: maravilhoso, admirvel! Esses dois inspetores comem da minha comida e usam as minhas carruagens; eu lhes proporciono um modo de vida e lhes trago fama. No entanto, apesar disso, eles demonstram menos respeito para comigo do que para com o Abenoado. Com certeza estas boas pessoas percebem estados sucessivos de elevada distino na Revelao do Abenoado. por isso tambm, venervel senhor, que deduzo de acordo com o Dhamma a respeito do Abenoado: O Abenoado perfeitamente iluminado, o Dhamma bem proclamado pelo Abenoado, a Sangha dos discpulos do Abenoado pratica o bom caminho.

19. Outra vez, venervel senhor, o Abenoado um nobre e eu sou um nobre, o Abenoado de Kosala e eu sou de Kosala, o Abenoado tem oitenta anos de idade e eu tenho oitenta anos de idade. [8] Sendo assim, eu penso ser apropriado fazer uma homenagem to extrema para esse corpo e demonstrar tamanha amizade.

 20. E agora, venervel senhor, ns partiremos. Estamos muito ocupados e temos muito que fazer.

Agora o momento, grande rei, faa como julgar adequado.

Ento o rei Pasenadi de Kosala levantou-se do seu assento e depois de homenagear o Abenoado, mantendo-o sua direita, partiu.[9]

21. Ento, pouco depois dele ter partido, o Abenoado se dirigiu aos bhikkhus da seguinte forma: Bhikkhus, antes de se levantar do seu assento e partir, este Rei Pasenadi expressou monumentos ao Dhamma.[10] Aprendam os monumentos ao Dhamma, bhikkhus, conheam bem os monumentos ao Dhamma, recordem-se dos monumentos ao Dhamma. Os monumentos ao Dhamma so benficos, bhikkhus, e eles fazem parte dos fundamentos da vida santa.

Isso foi o que disse o Abenoado. Os bhikkhus ficaram satisfeitos e contentes com as palavras do Abenoado.

 


 

Notas:

[1] Digha Karayana era o comandante em chefe do exrcito do Rei Pasenadi. Ele era o sobrinho de Bandhula, chefe dos Malas, um antigo amigo do Rei Pasenadi. Pasenadi havia matado Bandhula, juntamente com os seus trinta e dois filhos, atravs da conivncia traioeira dos seus ministros corruptos. Em segredo Karayana estava conspirando com o Prncipe Vidudabha, filho de Pasenadi, para ajud-lo a usurpar o trono do pai. [Retorna]

[2] Trs lguas (yojana) seriam aproximadamente trinta e dois quilmetros.[Retorna]

[3] MA diz que ele pensou: No passado, depois de consultar em particular o contemplativo Gotama, o rei prendeu meu tio e os trinta e dois filhos dele. Talvez nesta ocasio ele prenda a mim. A insgnia real confiada a Digha Karayana tambm inclua o leque, o par-sol e as sandlias. Digha Karayana se apressou em retornar capital com a insgnia real e coroou Vidudabha como rei.[Retorna]

[4] No MN 13.11 dito que essas disputas surgem devido aos prazeres sensuais. [Retorna]

[5] Igual ao MN 77.6. [Retorna]

[6] Igual ao MN 27.4-7. [Retorna]

[7] Quando eles morreram o Buda declarou que ambos haviam alcanado o estgio de um retorno. Veja o AN 6:44/ iii.348. [Retorna]

[8] Esta afirmao indica que este sutta pode ser atribudo ao ltimo ano da vida do Buda. [Retorna]

[9] Quando o Rei Pasenadi voltou ao lugar onde ele havia deixado Digha Karayana, ele apenas encontrou uma criada que lhe contou as novidades. Ele ento saiu apressado em direo a Rajagaha para recrutar a ajuda do seu sobrinho, o Rei Ajatasattu. Mas como ele chegou tarde, as portas da cidade j estavam fechadas. Exausto devido jornada, ele deitou-se numa habitao fora da cidade e morreu durante a noite. [Retorna]

[10] MA: Monumentos ao Dhamma significam palavras que expressam reverncia ao Dhamma. Sempre que a reverncia demonstrada para qualquer uma das Trs Jias, esta tambm demonstrada para as demais. [Retorna]

 

 

Revisado: 11 Junho 2005

Copyright © 2000 - 2021, Acesso ao Insight - Michael Beisert: editor, Flavio Maia: designer.