Samyutta Nikaya I.32

Macchariya Sutta

Egosmo

Somente para distribuio gratuita.
Este trabalho pode ser impresso para distribuio gratuita.
Este trabalho pode ser re-formatado e distribudo para uso em computadores e redes de computadores
contanto que nenhum custo seja cobrado pela distribuio ou uso.
De outra forma todos os direitos esto reservados.

 


Assim ouvi. Em certa ocasio o Abenoado estava em Savatthi no Bosque de Jeta, no Parque de Anathapindika. Ento, quando a noite estava bem avanada, um nmero de devatas com belssima aparncia que iluminaram todo o Bosque de Jeta, se aproximaram do Abenoado. Ao se aproximar elas homenagearam o Abenoado e ficaram em p a um lado. Uma devata ento disse:

"Devido avareza e negligncia
uma oferenda no dada.
Quem sabe, desejando mritos,
com certeza deve dar oferendas."

Ento uma outra devata disse o seguinte:

"Aquilo que o varo teme quando ele no d
exatamente o perigo que ameaa o no doador.
A fome e a sede que o varo teme
afligem esse tolo neste mundo e no prximo.

Portanto, tendo removido a avareza,
quem eliminou essa mcula deve dar oferendas.
Mritos aquilo que sustenta os seres vivos
ao surgirem no outro mundo."

Ento uma outra devata disse o seguinte:

"Eles no morrem entre aqueles que esto mortos
quem, como companheiros viajantes na estrada,
oferecem embora tenham pouco:
esse um princpio antigo. [1]

Alguns do do pouco que tm,
outros que so ricos no gostam de dar.
Uma oferenda dada do pouco que se tenha
vale mil vezes o seu valor."

Ento uma outra devata disse o seguinte:

"Os maus no emulam os bons,
que do aquilo que difcil de dar,
e fazem o que difcil ser feito:
o Dhamma dos bondosos difcil de ser seguido.

Assim o destino aps a morte
do bom difere do mau:
o mau vai para o inferno,
o bom destinado ao paraso."

Ento uma outra devata disse para o Abenoado: "Quem falou bem, Abenoado?"

"Todas falaram bem no seu modo. Mas ouam o que tenho a dizer:

Se algum pratica o Dhamma
embora sobreviva apenas daquilo que colhe,
enquanto mantm a esposa
ele d do pouco que tem,
ento nem cem mil oferendas
daqueles que sacrificam mil
no valem nem uma frao
de uma oferenda dada por algum como ele.

Ento uma outra devata disse o seguinte:

"Por que a oferenda deles, vasta e imensa,
no tem o mesmo valor da oferenda da pessoa ntegra?
Por que cem mil oferendas
daqueles que sacrificam mil
no valem nem uma frao
de uma oferenda dada por algum como ele?"

Ento o Abenoado respondeu:

"Visto que eles do estabelecidos naquilo que improbo,
tendo morto e assassinado, causando tristeza,
a sua oferenda - lacrimosa, carregada de violncia -
no compartilha o valor dado por quem probo.
Por isso que cem mil oferendas
daqueles que sacrificam mil
no valem nem uma frao
de uma oferenda dada por algum como ele."

 


Notas:

[1] Aqueles que esto mortos so os varos pois como os mortos eles no do oferendas. [Retorna]

>> Prximo Sutta

 

 

Revisado: 16 Maro 2013

Copyright © 2000 - 2021, Acesso ao Insight - Michael Beisert: editor, Flavio Maia: designer.