Majjhima Nikaya 142

Dakkhinavibhanga Sutta

A Anlise das Oferendas

Somente para distribuio gratuita.
Este trabalho pode ser impresso para distribuio gratuita.
Este trabalho pode ser re-formatado e distribudo para uso em computadores e redes de computadores
contanto que nenhum custo seja cobrado pela distribuio ou uso.
De outra forma todos os direitos esto reservados.

 


1. Assim ouvi. Em certa ocasio o Abenoado estava entre os Sakyas em Kapilavatthu, no Parque de Nigrodha.

2. Ento Mahapajapati Gotami tomou uma pea de tecido e foi at o Abenoado.[1] Depois de cumpriment-lo, ela sentou a um lado e disse para o Abenoado: Venervel senhor, esta pea de tecido foi tecida por mim, esta pea de tecido foi urdida por mim, especialmente para o Abenoado. Venervel senhor, que o Abenoado aceite isso de mim por compaixo.

Quando isso foi dito, o Abenoado respondeu: D para a Sangha, Gotami. Ao doar para a Sangha, a oferenda ser feita tanto para mim como para a Sangha. [2] Uma segunda vez e uma terceira vez ela disse para o Abenoado:

Venervel senhor,... aceite isso de mim por compaixo.

Uma segunda vez e uma terceira vez o Abenoado respondeu: D para a Sangha, Gotami. Ao fazer para a Sangha, a oferenda ser feita tanto para mim como para a Sangha.

3. Ento o venervel Ananda disse para o Abenoado: Venervel senhor, que o Abenoado aceite essa pea de tecido nova de Mahapajapati Gotami. Mahapajapati Gotami foi de grande ajuda para o Abenoado, venervel senhor. Sendo a irm da sua me, ela foi a sua bab, sua me adotiva, sua ama-de-leite. Ela amamentou o Abenoado quando a sua me morreu. O Abenoado tambm tem sido de grande ajuda para Mahapajapati Gotami, venervel senhor. por causa do Abenoado que Mahapajapati Gotami buscou refgio no Buda, no Dhamma e na Sangha. por causa do Abenoado que Mahapajapati Gotami se abstm de matar seres vivos, de tomar aquilo que no dado, da conduta imprpria em relao aos prazeres sensuais, da linguagem mentirosa e se abstm do vinho, lcool e outros embriagantes, que causam a negligncia. por causa do Abenoado que Mahapajapati Gotami possui perfeita claridade, serenidade e confiana no Buda, no Dhamma e na Sangha e possui a virtude apreciada pelos nobres. [3] por causa do Abenoado que Mahapajapati Gotami est livre da dvida com relao ao sofrimento, com relao origem do sofrimento, com relao cessao do sofrimento e com relao ao caminho que conduz cessao do sofrimento. O Abenoado tem sido de grande ajuda para Mahapajapati Gotami.

4. Assim , Ananda, assim ! Quando uma pessoa, por causa de outrem, busca refgio no Buda, no Dhamma e na Sangha, eu digo que no fcil que a primeira repague a esta ltima homenageando-a, servindo-a, fazendo saudaes com reverncia e prestando servios com cortesia, proporcionando mantos, comida esmolada, moradia e medicamentos.

Quando uma pessoa, por causa de outrem, se abstm de matar seres vivos, de tomar aquilo que no dado, da conduta imprpria em relao aos prazeres sensuais, da linguagem mentirosa, e se abstm do vinho, lcool e outros embriagantes, que causam a negligncia, eu digo que no fcil que a primeira repague a esta ltima homenageando-a ... medicamentos.

Quando uma pessoa, por causa de outrem, possui perfeita claridade, serenidade e confiana no Buda, no Dhamma e na Sangha e possui a virtude apreciada pelos nobres, eu digo que no fcil que a primeira repague a esta ltima homenageando-a ... medicamentos.

Quando uma pessoa, por causa de outrem, est livre da dvida com relao ao sofrimento, com relao origem do sofrimento, com relao cessao do sofrimento e com relao ao caminho que conduz cessao do sofrimento, eu digo que no fcil que a primeira repague a esta ltima homenageando-a ... medicamentos.

5. H catorze tipos de oferendas pessoais, Ananda. [4] Algum faz uma oferenda para o Tathagata, um arahant, perfeitamente iluminado; esse o primeiro tipo de oferenda pessoal. Algum faz uma oferenda para um paccekabuddha; esse o segundo tipo de oferenda pessoal. Algum faz uma oferenda para um arahant discpulo do Tathagata; esse o terceiro tipo de oferenda pessoal. Algum faz uma oferenda para aquele que entrou no caminho para a realizao do fruto de arahant; esse o quarto tipo de oferenda pessoal. Algum faz uma oferenda para aquele que no retorna; esse o quinto tipo de oferenda pessoal. Algum faz uma oferenda para aquele que entrou no caminho para a realizao do fruto daquele que no retorna; esse o sexto tipo de oferenda pessoal. Algum faz uma oferenda para aquele que retorna apenas uma vez; esse o stimo tipo de oferenda pessoal. Algum faz uma oferenda para aquele que entrou no caminho para a realizao do fruto daquele que retorna apenas uma vez; esse o oitavo tipo de oferenda pessoal. Algum faz uma oferenda para aquele que entrou na correnteza; esse o nono tipo de oferenda pessoal. Algum faz uma oferenda para aquele que entrou no caminho para a realizao do fruto daquele que entrou na correnteza; [5] esse o dcimo tipo de oferenda pessoal. Algum faz uma oferenda para algum de fora [do Dhamma e Disciplina] que est livre da cobia pelos prazeres sensuais; [6] esse o dcimo primeiro tipo de oferenda pessoal. Algum faz uma oferenda para uma pessoa comum virtuosa; esse o dcimo segundo tipo de oferenda pessoal. Algum faz uma oferenda para uma pessoa comum no virtuosa; esse o dcimo terceiro tipo de oferenda pessoal. Algum faz uma oferenda para um animal; esse o dcimo quarto tipo de oferenda pessoal.

6. Neste caso, Ananda, ao fazer uma oferenda para um animal, pode-se esperar que a oferenda seja recompensada cem vezes. [7] Ao fazer uma oferenda para uma pessoa comum no virtuosa, pode-se esperar que a oferenda seja recompensada mil vezes. Ao fazer uma oferenda para uma pessoa comum virtuosa, pode-se esperar que a oferenda seja recompensada cem mil vezes. Ao fazer uma oferenda para algum de fora [do Dhamma e Disciplina] que est livre da cobia pelos prazeres sensuais, pode-se esperar que a oferenda seja recompensada cem mil, cem mil vezes.

Ao fazer uma oferenda para aquele que entrou no caminho para a realizao do fruto daquele que entrou na correnteza, pode-se esperar que a oferenda seja recompensada de modo incalculvel, imensurvel. O que, ento, deve ser dito de uma oferenda para aquele que entrou na correnteza? O que deve ser dito de uma oferenda para aquele que entrou no caminho para a realizao do fruto daquele que retorna uma vez ... para aquele que retorna uma vez ... para aquele que entrou no caminho para a realizao do fruto daquele que no retorna ... para aquele que no retorna ... para aquele que entrou no caminho para a realizao do fruto de arahant ... um arahant ... um paccekabuddha? O que deve ser dito de uma oferenda para um Tathagata, um arahant, perfeitamente iluminado?[8]

7. H sete tipos de oferendas para a Sangha, Ananda. Algum faz uma oferenda para ambas as Sanghas, [bhikkhus e bhikkhunis], lideradas pelo Buda; esse o primeiro tipo de oferenda para a Sangha.[9] Algum faz uma oferenda para ambas as Sanghas. [bhikkhus e bhikkhunis], depois que o Tathagata realizou o parinibbana; esse o segundo tipo de oferenda para a Sangha. Algum faz uma oferenda para a Sangha dos bhikkhus; esse o terceiro tipo de oferenda para a Sangha. Algum faz uma oferenda para a Sangha das bhikkhunis; esse o quarto tipo de oferenda para a Sangha. Algum faz uma oferenda, dizendo: Nomeie tantos bhikkhus e bhikkhunis em meu nome para a Sangha; esse o quinto tipo de oferenda para a Sangha. Algum faz uma oferenda, dizendo: Nomeie tantos bhikkhus em meu nome para a Sangha; esse o sexto tipo de oferenda para a Sangha. Algum faz uma oferenda, dizendo: Nomeie tantas bhikkhunis em meu nome para a Sangha; esse o stimo tipo de oferenda para a Sangha.

8. No futuro, Ananda, haver membros do cl com o pescoo amarelo, no virtuosos, com mau carter. [10] As pessoas faro oferendas para esses indivduos no virtuosos em benefcio da Sangha. Mesmo nesse caso, eu digo, uma oferenda feita para a Sangha incalculvel, imensurvel. [11] E digo que de nenhuma forma uma oferenda feita para algum individualmente poder trazer maior recompensa do que uma oferenda feita para a Sangha. [12]

9. H quatro tipos de purificao das oferendas. Quais quatro? H a oferenda que purificada pelo doador, mas no pelo receptor. [13] H a oferenda que purificada pelo receptor, mas no pelo doador. H a oferenda que no purificada nem pelo doador e tampouco pelo receptor. H a oferenda que purificada por ambos, doador e receptor.

10. E qual a oferenda purificada pelo doador, mas no pelo receptor? Aqui o doador virtuoso, de bom carter, e o receptor no virtuoso, de mau carter. Assim a oferenda purificada pelo doador, no pelo receptor.

11. E qual a oferenda purificada pelo receptor, mas no pelo doador? Aqui o doador no virtuoso, de mau carter, e o receptor virtuoso, de bom carter. Assim a oferenda purificada pelo receptor, no pelo doador.

12. E qual a oferenda que no purificada nem pelo doador e tampouco pelo receptor? Aqui o doador no virtuoso, de mau carter, e o receptor no virtuoso, de mau carter. Assim a oferenda no purificada nem pelo doador e tampouco pelo receptor.

13. E qual a oferenda purificada por ambos, doador e receptor? Aqui o doador virtuoso, de bom carter, e o receptor virtuoso, de bom carter. Assim a oferenda purificada por ambos, doador e receptor. Esses so os quatro tipos de purificao das oferendas.

14. Isso foi o que disse O Abenoado. Tendo dito isso, o Mestre disse mais:

Quando uma pessoa virtuosa faz para uma pessoa no virtuosa
com o corao confiante uma oferenda obtida corretamente,
depositando f em que o fruto da ao ser imenso,
a virtude do doador purifica a oferenda.

Quando uma pessoa no virtuosa faz para uma pessoa virtuosa
com o corao desconfiado uma oferenda obtida de modo incorreto,
e sequer deposita f em que o fruto da ao ser imenso,
a virtude do recebedor purifica a oferenda.

Quando uma pessoa no virtuosa faz para uma pessoa no virtuosa
com o corao desconfiado uma oferenda obtida de modo incorreto,
e sequer deposita f em que o fruto da ao ser imenso,
a virtude de nenhum purifica a oferenda.

Quando uma pessoa virtuosa faz para uma pessoa virtuosa
com o corao confiante uma oferenda obtida corretamente,
depositando f em que o fruto da ao ser imenso,
essa oferenda, eu digo, ir frutificar plenamente.

Quando uma pessoa desapegada faz para uma pessoa desapegada
com o corao confiante uma oferenda obtida corretamente,
depositando f em que o fruto da ao ser imenso,
essa oferenda, eu digo, a melhor oferenda no mundo. [14]

 


 

Notas:

[1] Mahapajapati Gotami era a irm mais nova da Rainha Mahamaya, a me do Buda, e era a esposa do Rei Suddhodana. Depois da morte de Mahamaya, ela se tornou a me adotiva do Buda. Este sutta ocorre no incio da carreira de ensino do Buda, quando do seu retorno sua cidade natal. Depois da morte do Rei Suddhodana, Mahapajapati insistiu em que o Buda admitisse mulheres na Sangha e a ordenao dela marca o incio da Sangha de Bhikkhunis, a Ordem das Monjas. [Retorna]

[2] MA: O Buda pediu que ela desse a oferenda para a Sangha porque ele queria que a volio de generosidade fosse dirigida tanto para a Sangha como para ele mesmo, visto que a volio combinada produziria mrito que conduziria ao bem-estar e felicidade dela por muito tempo. Ele tambm disse isso para que as geraes futuras fossem motivadas a mostrar respeito para com a Sangha, e suportando a Sangha com os quatro requisitos fsicos contribuiriam para a longevidade dos Ensinamentos. [Retorna]

[3] Essas so as quatro qualidades de um sotapanna. Portanto, evidente que na poca em que este sutta ocorreu, Mahapajapati Gotami j havia entrado na correnteza. [Retorna]

[4] MA: O Buda profere este ensinamento porque o sutta comeou com uma oferenda pessoal para ele, e ele deseja esclarecer o valor comparativo entre as oferendas pessoais e as oferendas dadas para a Sangha. [Retorna]

[5] MA e MT explicam que esse termo pode de forma geral ser ampliado para incluir tanto um discpulo leigo que buscou refgio na Jia Trplice, como leigos e monges que estejam empenhados em realizar o treinamento na virtude e a prtica de concentrao e insight. No seu sentido tcnico estrito ele se refere apenas aos que possuem o caminho supramundano de entrar na correnteza. [Retorna]

[6] MA: esse um contemplativo no Budista que alcana os jhanas e os tipos de conhecimento direto mundanos. [Retorna]

[7] MA: Em cem existncias, proporcionar, ao que faz a oferenda, vida longa, beleza, felicidade, fora e inteligncia e far com que ele esteja livre da agitao. As realizaes seguintes devem ser entendidas de forma semelhante. [Retorna]

[8] MA diz que embora a recompensa da generosidade em cada um desses casos seja incalculvel, existe uma escala ascendente nessa impossibilidade de clculo, semelhante impossibilidade de clculo do volume ascendente das guas de um grande rio, etc., at as guas de um grande oceano. Talvez o valor incalculvel, imensurvel dessas oferendas consista no fato delas se tornarem uma condio de suporte para a realizao dos caminhos supramundanos, os seus frutos e Nibbana. [Retorna]

[9] MA: No h oferenda que se compare em valor a esta. Esse o tipo de oferenda que Mahapajapati estaria fazendo ao oferecer a pea de tecido para a Sangha. [Retorna]

[10] MA: Membros do cl, (gotrabhuno), so aqueles monges apenas no nome. Eles perambulam com um pedao de tecido amarelo atado ao pescoo ou braos, e sustentam esposa e filhos ocupando-se com o comrcio e a agricultura, etc. [Retorna]

[11] A oferenda incalculvel e imensurvel em valor porque oferecida, atravs da inteno do doador, no aos com o pescoo amarelo como indivduos, mas para a Sangha como um conjunto. Portanto, o conjunto recipiente inclui todos os bhikkhus virtuosos do passado, at mesmo aqueles que j faleceram h muito tempo.[Retorna]

[12] MA afirma que uma oferenda feita a um bhikkhu no virtuoso, pressupondo que ele represente toda a Sangha, mais frutuosa do que uma oferenda feita em carter pessoal para um arahant. Mas para que a oferenda seja feita de maneira apropriada para a Sangha, o doador no deve tomar em conta as qualidades pessoais do recipiente, mas sim, v-lo apenas como representante da Sangha como um todo. [Retorna]

[13] MA: Aqui a palavra purificada tem o significado de frutuosa. [Retorna]

[14] MA: Este ltimo verso se refere oferenda de um arahant para outro arahant. Embora o arahant creia na lei de kamma, por ele estar desprovido do desejo e cobia pela existncia, o seu ato de generosidade no produz qualquer fruto. apenas uma ao funcional, (kiriya), sem deixar qualquer rastro. [Retorna]

 

 

Revisado: 5 Setembro 2013

Copyright © 2000 - 2021, Acesso ao Insight - Michael Beisert: editor, Flavio Maia: designer.