Samyutta Nikaya XXXV.74

Gilana (pathama) Sutta

Enfermo

Somente para distribuio gratuita.
Este trabalho pode ser impresso para distribuio gratuita.
Este trabalho pode ser re-formatado e distribudo para uso em computadores e redes de computadores
contanto que nenhum custo seja cobrado pela distribuio ou uso.
De outra forma todos os direitos esto reservados.

 


Em Savatthi. Ento, um certo bhikkhu foi at o Abenoado e depois de cumpriment-lo sentou a um lado e disse: Venervel senhor, em tal e qual habitao, h um certo monge recm ordenado, no muito conhecido, que est enfermo, aflito, gravemente doente. Seria bom, venervel senhor, se o Abenoado pudesse visitar esse bhikkhu por compaixo.

Ento, quando o Abenoado ouviu as palavras recm ordenado e enfermo, e compreendeu que se tratava de um bhikkhu no muito conhecido, ele foi visit-lo. Aquele bhikkhu viu o Abenoado vindo distncia e ficou agitado na cama. O Abenoado disse: J basta, bhikkhu, no fique agitado na cama. H assentos preparados, eu sentarei aqui.

O Abenoado ento, sentou no assento que estava preparado e disse para aquele bhikkhu: Eu espero que voc esteja melhorando, bhikkhu, espero que voc esteja confortvel, espero que as suas sensaes de dor estejam diminuindo e no aumentando e que a sua diminuio, no o seu aumento, seja evidente.

Venervel Senhor, eu no estou melhorando, no me sinto confortvel. Minhas sensaes de dor esto aumentando, no diminuindo, o seu aumento, no a sua diminuio evidente.

Eu espero ento, bhikkhu, que voc no esteja atormentado pelo remorso e arrependimento.

De fato, venervel senhor, eu sinto muito remorso e arrependimento.

Eu espero, bhikkhu, que voc no tenha nenhuma razo para se censurar com relao virtude.

Eu no tenho nenhuma razo, venervel senhor, para censurar-me com relao virtude.

Ento, bhikkhu, se voc no tem nenhuma razo para se censurar com relao virtude, porque voc est atormentado pelo remorso e arrependimento?

Eu entendo, venervel senhor, que no com o propsito de purificar a virtude que o Dhamma tem sido ensinado pelo Abenoado.

Se, bhikkhu, voc entende que o Dhamma no tem sido ensinado por mim com o propsito de purificar a virtude, ento por qual propsito voc entende ter sido o Dhamma ensinado por mim?

Venervel senhor, eu entendo que o Dhamma tem sido ensinado pelo Abenoado com o propsito do desaparecimento da cobia.

Muito bem, bhikkhu! bom que voc entenda que o Dhamma tenha sido ensinado por mim com o propsito do desaparecimento da cobia. Pois o Dhamma ensinado por mim com o propsito do desaparecimento da cobia.

O que voc pensa, bhikkhu, o olho permanente ou impermanente?- Impermanente, venervel senhor. ... O ouvido ... a mente permanente ou impermanente? Impermanente, venervel senhor. Aquilo que impermanente sofrimento ou felicidade? Sofrimento, venervel senhor. Aquilo que impermanente, sofrimento e sujeito mudana adequado que se considere assim: Isso meu, isso sou eu, isso o meu eu? No, venervel senhor.

Vendo dessa forma, o nobre discpulo bem instrudo se desencanta com o olho ... desencanta com a mente. Desencantado ele se torna desapegado. Atravs do desapego a sua mente libertada. Quando ela est libertada surge o conhecimento: Libertada. Ele compreende que: O nascimento foi destrudo, a vida santa foi vivida, o que deveria ser feito foi feito, no h mais vir a ser a nenhum estado.

Isso foi o que o Abenoado disse. O bhikkhu ficou satisfeito e contente com as palavras do Abenoado. E enquanto essa explanao estava sendo dada o olho imaculado do Dhamma surgiu naquele bhikkhu: Tudo que est sujeito ao surgimento est sujeito cessao.

 


 

>> Prximo Sutta

 

 

Revisado: 4 Dezembro 2004

Copyright © 2000 - 2021, Acesso ao Insight - Michael Beisert: editor, Flavio Maia: designer.