Sutta Nipata IV.9

Magandiya Sutta

Magandiya

Somente para distribuio gratuita.
Este trabalho pode ser impresso para distribuio gratuita.
Este trabalho pode ser re-formatado e distribudo para uso em computadores e redes de computadores
contanto que nenhum custo seja cobrado pela distribuio ou uso.
De outra forma todos os direitos esto reservados.

 


[Magandiya oferece a sua filha em casamento ao Buda, que responde:]

Ao ver [as filhas de Mara]
-- Desejo, Descontentamento e Cobia --
no houve em mim desejo por sexo. [1]
Ento o que poderia eu querer disso,
repleto de urina e excremento?
Eu no gostaria de tocar nisso
nem mesmo com o meu p.

Magandiya:

Se voc no quer
essa jia de donzela, cobiada
por muitos reis,
ento por qual tipo de entendimento,
preceito, prtica, vida,
ser/existir
voc argumenta?

O Buda:

Tendo compreendido
aquilo ao qual os homens se apegam,
Eu no digo
Isso eu declaro.
Vendo todas essas idias,
mas sem agarr-las e buscando pela verdade,
eu encontrei a paz interna,

Magandiya:

Sbio, voc fala
sem se agarrar
a qualquer julgamento preconcebido.
Essa paz interna:
o que significa?
Como ela
proclamada
por um ser iluminado?

O Buda:

Eu no digo que a purificao
alcanada atravs do entendimento,
tradio,
conhecimento,
virtude ou prtica,
Nem a purificao alcanada sem o entendimento,
tradio,
conhecimento,
virtude ou prtica.[2]
apenas tomando esses fatores como meios,
sem se apegar a isso como um fim em si mesmos,
que possvel realizar a purificao
e como conseqncia no ansiar pelo ser/existir.

Magandiya:

Se voc no diz que a purificao
alcanada atravs do entendimento,
tradio,
conhecimento,
virtude ou prtica.
Nem que alcanada sem o entendimento,
tradio,
conhecimento,
virtude ou prtica,
para mim parece que esse ensinamento
confuso,
pois alguns supem que a purificao
provm do entendimento.

O Buda:

Devido s suas idias
voc sempre faz esse tipo de pergunta.
porque voc est obcecado
com noes preconcebidas s quais voc se apega.
E por isso voc nem mesmo tem um
vislumbre, a menor noo
[do que estou dizendo].
por isso que voc pensa
ser confuso.

Aquele que pensa de si mesmo
igual,
superior, ou
inferior,
com base nisso ele disputa;
enquanto que aquele que no afetado
por essas medidas,
igual,
superior, ou
inferior,
no ocorrem.

De que o brmane diria verdadeiro
ou falso,
disputando com quem:
nele em quem igual, desigual no existe.

Tendo abandonado a casa,
perambulando sem morada,
no vilarejo,
o sbio no tem
intimidade com ningum.
Livre dos prazeres sensuais, sem
preferncias,
ele no se envolve em disputas
com as pessoas. [3]

Aquelas coisas
afastado das quais
ele segue pelo mundo:
o supremo
no as tomaria
e argumentaria em seu favor.

Tal como o ltus
no maculado pela gua e lama,
assim tambm o sbio.
um expoente da paz,
sem cobia,
no maculado pela sensualidade
e pelo mundo.

Quem conquistou a sabedoria no medido,
No tem orgulho, [4]
das idias ou
por aquilo que pensado
pois ele no tem apego por isso.
Ele no seduzido
pela ao,[5] nem aprendizado,
desapegado em todas as circunstncias.

No h vnculos naquele que est livre das idias,
No h deluses naquele que est libertado atravs da sabedoria.
Aqueles que se agarram a percepes e idias
seguem batendo cabea
no mundo.

 


 

Notas:

[1] O encontro do Buda com as filhas de Mara relatado no SN IV.25. [Retorna]

[2] No possvel dizer que uma pessoa pura simplesmente porque ela possui um certo tipo de entendimento, etc. A pureza no definida nesses termos. Mas por outro lado uma pessoa no obtm a pureza atravs da ausncia de entendimento, etc. Colocando essas duas sentenas juntas, a mensagem a seguinte: a pessoa usa o entendimento correto, tradio, conhecimento, virtude e prticas como o caminho, um meio para alcanar a pureza. Uma vez que esta tenha sido alcanada, ela deixa de lado o caminho, pois a pureza interior, no seu sentido ltimo, algo que transcende os meios atravs dos quais ela alcanada.

No verso que segue fica evidente que Magandiya no entendeu essa distino.

Para outros exemplos sobre o papel do Entendimento Correto para conduzir a uma dimenso que supere todas as idias, veja o AN X.93, AN X.96, MN 24. (A analogia das carruagens de revezamento no MN 24 na verdade se ajusta muito bem aos temas abordados neste discurso). [Retorna]

[3] A explicao deste verso, atribuda ao Ven. Maha Kaccana, pode ser encontrada no SN XXII.3. [Retorna]

[4] Medido ... tem orgulho dois significados para manameti. [Retorna]

[5] Ao nesta caso significa kamma no seu sentido mais geral, isto , aquele que conquistou a sabedoria est alm da criao de kamma ou num sentido mais restrito, das aes ritualsticas. De acordo com Nd.I, isto se refere ao fator das formaes (sankhara) na anlise da origem dependente (veja o SN XII.2). [Retorna]

Veja Tambm: SN I.1; Snp V.7

>> Prximo Sutta

 

 

Revisado: 13 Maio 2006

Copyright © 2000 - 2021, Acesso ao Insight - Michael Beisert: editor, Flavio Maia: designer.